54 3536.0685

Casa do Gaúcho

Em 1975, Caxias do Sul pertencia a 11ª RT, sediada em Bento Gonçalves em virtude da distância da sede, CTG’s de Caxias do Sul e Farroupilha resolveram propor a criação de uma nova região, que incluiria, além dos municípios já citados, São Marcos e Flores da Cunha. Em 1977, os CTG’s Rincão da Lealdade, Paixão Cortes, Tropeiros do Rio Grande, Rodeio Minuano, Sinuelo do Pampa e Ronda Charrua nomearam o tradicionalista Aldo Alves Mendes, para levar a proposta de criação da nova região ao MTG, no entanto a diretoria do Movimento Tradicionalista Gaúcho posicionou-se contra, uma vez que alegavam que a região de Caxias não teia subsídios para sobreviver sozinha.
Porém os integrantes dessas entidades estavam determinados à separação destas regiões. Clóvis Pradel Pinheiro, Barcelos o patrão do CTG Rodeio Minuano, Sr. Juvelino da Silva do CTG Sinuelo dos Pampas, Almiro Pereira, Suzete Dalegrave, Abelino Cardoso, Benito Fatore, Manuel Tropeiro, Claudino Picolotto, Honeyde Bertussi e Alcione Ramos, encabeçados por Aldo Alves Mendes, eram os maiores responsáveis pelas discussões e defesa da separação. Em 1976, o MTG sugeriu que fosse criado um “delegado”, o qual, teria a obrigação de estruturar a 25ª RT, que tanto queriam. Foi nomeado Aldo Alves Mendes, que tomou as rédeas da situação para que tudo acontecesse conforme planejado.
Sendo assim na Convenção Tradicionalista em 1977, na cidade de Canela, criou-se a 25ª RT, com sede em Caxias do Sul, tendo como coordenador Aldo Mendes. No entanto, a criação desta região somente foi oficializada no Congresso Tradicionalista em Santo Antonio da Patrulha, entre os dias 05 a 08 de janeiro de 1978, no CTG Coronel Chico Borges.
A partir daí a 1ª Coordenadoria tomou posse, encabeçada pelo Sr. Aldo Mendes, tendo como Capataz o Sr. João Borges Lopes e como sota-capataz o Sr. Dinalci Pereira.
As entidades filiadas eram o CTG Ronda Charrua (1ª em nossa região, situado na cidade de Farroupilha), o CTG Rincão da Lealdade, o CTG Paixão Cortês, o CTG Tropeiros do Rio Grande, o CTG Rodeio Minuano, o CTG Sinuelo dos Pampas e o piquete de Cavalarianos Máximo da Luz. Havia também algumas entidades que, aos poucos, estavam se formando: o CTG Negrinho do Pastoreio, o CTG Pousada dos Tropeiros, o CTG Porteira da Serra e o CTG Raposo Tavares.
A região recém criada caminhava a passos lentos. Não possuía sede nem tampouco fundos. A cada dois meses, realizava-se uma reunião de patrões em uma das entidades filiadas, desta forma, a sede da 25ª RT era “itinerante”. A documentação e as atas das reuniões ficavam com o secretário, que era encarregado de levá-las na próxima reunião marcada. Para que pudesse pagar as despesas, realizavam promoções em conjunto, agregando todas as entidades filiadas e quando por ventura, faltava dinheiro, cada entidade colaborava com a sua parte e as despesas eram divididas.

LEI N. 5.054 de 7 de janeiro de 1999.

Declara de Utilidade pública a 25ª Coordenadoria Regional Tradicionalista no Estado do Rio Grande do Sul.

Pin It on Pinterest

Share This